Solistas da Metropolitana no Museu do Oriente

O “Piano Polaco” de Moszkowski, Paderewski e Chopin, para além de um Ensemble de Trompetes são as sugestões dos Solistas da Metropolitana para os espetáculos que têm lugar entre 5 e 18 de maio, em Lisboa, no Museu do Oriente, todos eles de entrada livre e com início marcado para as 17 horas.
Variações em Ré Maior sobre um tema de T. More de Chopin; Tatra Album, Op. 12, de Paderewski; 5 Danças Espanholas, Op. 12 e 3 Peças, Op. 11, de Moszkowski; são as peças escolhidas pelas pianistas Anna Tomasik e Savka Konjikusic para o recital deste domingo.



Já no sábado do dia 18, a trompete é a protagonista de um espetáculo que dá a conhecer as “múltiplas facetas deste instrumento, um dos mais antigos de que há registo na História da Humanidade”. Em agrupamentos de dimensão variada, mas com um timbre único, o programa escolhido percorre um repertório original e transcrições que encaminham o público por universos tão contrastantes como as fanfarras de inspiração secular, as danças renascentistas, a música cerimoniosa barroca ou ritmos e melodias de recorte jazzístico.
Recuando a civilizações ancestrais, a trompete provém de instrumentos rudimentares construídos com chifres de animais, conchas ou pedaços de madeira, que coincidem num mecanismo de produção sonora semelhante. Na Família dos Metais (trompetes, trombones, trompas, tubas e outras variantes) é o instrumento mais agudo, aquele que sobressai em virtude do seu timbre vibrante.
Ao longo dos tempos, este som “serviu propósitos tão variados como a chegada do mensageiro, o sinal de alerta em conflitos bélicos, o anúncio de assembleias, a função de abrilhantar eventos públicos e momentos solenes da vida das comunidades”.

Partilhe este artigo no Facebook