“Banksy: Genius or Vandal” na Cordoaria até outubro

A Cordoaria Nacional, em Lisboa, recebe a partir de hoje até 27 de outubro, a exposição “Banksy: Genius or Vandal”, naquela que é a primeira grande mostra em Portugal sobre o iconoclasta britânico, que “revolucionou a arte contemporânea e cuja identidade permanece uma incógnita”.

Nesta viagem ao “misterioso universo” do artista, os visitantes podem apreciar pela primeira vez mais de 70 obras originais, cedidas por vários colecionadores privados internacionais e conhecer “um dos criadores mais influentes dos últimos anos”, através de esculturas, instalações, vídeos e fotografias, reunidas em colaboração com a Lilley Fine Art – Galeria de Arte Contemporânea.
A mostra começa com uma “impressionante” instalação audiovisual, especialmente criada para quem visitar aquele espaço, que destaca as obras mais importantes de Banksy, nomeadamente, uma serigrafia original da série “Menina com um balão”, semelhante à recentemente destruída pelo próprio artista numa ação inédita realizada na leiloeira londrina Sotheby’s.
“Génio ou vândalo?”: é o público desta exposição quem decide. Ao mesmo tempo que “escorregadio”, “provocante” e “misterioso”, o mestre britânico de arte urbana é considerado “um dos principais expoentes da arte de rua contemporânea”. Na verdade, as suas obras, muitas delas satíricas, abordam questões universais como a política, a cultura ou a ética e o seu protesto visual, conectou-se com “uma gigantesca e heterogénea audiência” sendo atualmente um dos artistas mais reconhecidos e admirados pelas jovens gerações.



De acordo com Alexander Nachkebiya, curador da exposição, “Banksy adquiriu o status de um fenómeno e é um dos artistas mais brilhantes e importantes do nosso tempo”. Nas suas palavras, o artista “é um desafio para o sistema, um protesto, uma marca extremamente bem construída, um mistério, uma desobediência à lei”. Com esta exposição “queremos que cada visitante seja capaz de resolver quem realmente é Banksy, um génio ou um hooligan? Um artista ou um empreendedor? Um provocador ou um rebelde? A nossa exibição tem como objetivo mostrar a profundidade do seu talento, as suas múltiplas camadas e dimensões para que sejam os próprios visitantes a pensar e a decidir”, acrescenta Nachkebiya. Para o curador, o trabalho de Banksy caracteriza-se por ser “atual e muito completo, mas também por mergulhar na alma de cada um de nós”, razão pela qual acredita que o mesmo é apelidado de “génio”.

Organizada pela Everything is New, em parceria com a IQ Art Management e Sold Out, “Banksy: Genius or Vandal” chega a Portugal após um sucesso sem precedentes em Moscovo, São Petersburgo e Madrid, onde foi visitada por mais de 600 mil pessoas. Recorde-se que esta mostra, como todas as que foram dedicadas anteriormente a Banksy, não é autorizada pelo artista que busca “defender o seu anonimato e a sua independência do sistema”.

Mostra de Banksy com acesso à exposição “Arte para Respirar”

A Cordoaria Nacional alberga ainda, a partir desta sexta-feira, a exposição “Arte Para Respirar”, que consiste num espaço dedicado à associação de artistas plásticos portugueses estabelecidos e emergentes com a música, através do cunho da Rádio Oxigénio. A mostra está patente durante o período de exibição de “Banksy: Genius or Vandal?” e recebe as artistas lisboetas Inês Gato e Maria José Cabral.

Partilhe este artigo no Facebook