Tiago Nacarato e Márcia no cartaz do EDP Fado Cafe

O músico Tiago Nacarato e a cantora Márcia são as mais recentes confirmações do NOS Alive para o EDP Fado Cafe, nos dias 11 e 13 de julho, respetivamente, juntando-se assim ao fadista Camané no palco mais português daquele festival, que regressa este verão ao Passeio Marítimo de Algés.

O cantautor portuense, que já pisou palcos como Serralves em Festa, Hard Club, Casa da Música ou o Centro Cultural de Belém (CC, em Lisboa, chegou a passear pelas suas raízes brasileiras, quando decidiu juntar-se à Orquestra Bamba Social como vocalista, um projeto que reúne músicos luso-brasileiros residentes no Porto e que “presta tributo a vários clássicos da música brasileira, recriando-os e acrescentando novas sonoridades”. Juntos, lançaram os temas “Sorria” e “Cadê Cascais”, este último com a participação do rapper brasileiro Marcelo D2.



Atualmente, Tiago Nacarato encontra-se em estúdio a produzir o seu primeiro disco de originais, que contará com várias participações, isto depois de ter apresentado em 2018, o seu trabalho a solo em palco. No final do ano passado estreou-se ainda no Brasil, onde atuou para salas esgotadas com direito a sessão dupla em São Paulo e Rio de Janeiro, para além de cidades como Fortaleza ou Belo Horizonte.

O primeiro single “A Dança” foi apresentado em abril de 2018 e o segundo “Tempo”, com participação de Salvador Sobral, em novembro.

Distinguida pela SPA
Márcia, considerada “um dos talentos maiores da composição em língua portuguesa”, tendo iniciado o seu percuso musical com o EP “A Pele que Há em Mim”, seguindo-se “Dá”, “Casulo”, “Quarto Crescente” e “Vai e Vem”, editado em 2018. Este último registo, recorde-se, foi distinguido este ano pela Sociedade Portuguesa de Autores (SPA) com o Prémio José da Ponte 2019.

Depois das recentes apresentações no Brasil (São Paulo e Rio de Janeiro), Márcia apresenta-se no EDP Fado Cafe com o registo voz e viola, tendo colaborado com composições para artistas como Ana Moura, António Zambujo e Sérgio Godinho, entre outros.
O Palco EDP Fado Cafe, o sétimo do NOS Alive, nasceu na décima edição do festival, na Rua EDP, uma zona renovada do recinto com cenografia tradicional portuguesa e 150 metros de comprimento, inspirada na traça pombalina, que este ano acolhe a recriação do Museu da Eletricidade e do MAAT, dois ícones da cidade de Lisboa.
Neste espaço vivem ainda várias zonas comerciais, num projeto da autoria do arquiteto Rui Francisco com produção a cargo da EPC – Empresa Portuguesa de Cenários.

Francisco Salvador Barreto atua dia 12

Também Francisco Salvação Barreto, um dos nomes mais consagrados do fado, acaba de confirmar a sua presença naquele palco a 12 de julho. Depois do lançamento do seu primeiro disco “Horas da Vida”, no Jardim de Inverno do Teatro São Luiz e de ter esgotado o pequeno auditório do CCB no princípio deste mês, o fadista apresenta-se no NOS Alive acompanhado por Bernardo Couto, na guitarra portuguesa, Rogério Ferreira, *a viola e Francisco Gaspar no viola baixo.
O artista acredita na “sonoridade do trio clássico, na linguagem poética, nos grandes temas universais de todas as artes, o amor, a melancolia, a alegria, a morte, a esperança… a vida como ela é”. Por isso mesmo, reinventa-se nas melodias tradicionais e nos versos de letristas como João Monge, Maria do Rosário Pedreira, José Luís Gordo e Aldina Duarte, com quem trabalha na casa de fados “Sr. Vinho” de Maria da Fé, e também na sua vivência, enquanto arquiteto paisagista e homem interessado na história da arte em geral.

Partilhe este artigo no Facebook