Animais à solta em julho no Museu do Oriente

Um cavalo de perna partida vindo da ilha de Timor ou um rinoceronte que aportou em Lisboa e cá deixou a sua marca, são a prova de que os animais também viajam e durante este mês, o Museu do Oriente, em Lisboa, convida crianças e jovens a conhecerem estes curiosos viajantes assim como as suas histórias, em oficinas e visitas naquele espaço.

No domingo, dia 14, será dado destaque a um animal que suscitou o pertinente comentário “A perna do cavalo está estragada!“. “Em Conversa com as Peças” é uma visita contada para crianças dos 6 aos 10 anos, protagonizada por uma peça em especial – neste caso a estátua equestre de Timor Leste -, à qual os participantes são convidados a fazer perguntas. “Um desafio de observação e de sentido crítico” que, nesta sessão promete levar os mais pequenos a falarem também do “papel dos museus na conservação e de como as marcas do tempo e dos acontecimentos contam histórias”.



Já no dia 27 é a vez das crianças dos 7 aos 12 anos se questionarem sobre “Rinocerontes na China?!”, numa oficina que levará os participantes “no encalce deste volumoso viajante pelos corredores do museu”. Pelo caminho “ouviremos como o rinoceronte chegou a ser confundido com um unicórnio e das propriedades mágicas atribuídas ao seu corno”. E por falar em caminho… como veio um rinoceronte parar a Lisboa? Por que razão encontramos este animal nalguns monumentos da cidade? Estes e outros segredos serão desvendados “em torno de um animal que no século XVI deixou muita gente estupefacta em Lisboa”.

Partilhe este artigo no Facebook