Milhares a postos para três dias de música no Meco

A poucos minutos do arranque da 25.ª edição do Super Bock Super Rock (SBSR), que regressa a partir desta quinta feira ao Meco, em Sesimbra, e até ao próximo sábado, dia 20, o festival organizado pela promotora Música no Coração, acontece numa extensa área da Herdade do Cabeço da Flauta, que nas últimas semanas foi transformada para acolher uma festa que espera perto de 90 mil festivaleiros.

The 1975, Cat Power, Lana Del Rey, Phoenix ou Migos são alguns dos nomes que compõe o cartaz deste ano, com os portugueses Conan Osíris, Capitão Fausto e Profjam a juntarem-se a um total de 45 concertos que vão animar o evento durante três dias de música, a sul do rio Tejo.

Recorde-se que os portadores do passe de três dias têm direito a campismo gratuito no espaço do recinto, desde ontem até ao próximo domingo. No entanto, este passe “tem de ser trocado por pulseira e colocada pela organização na bilheteira do festival” junto à entrada. A pulseira, de acordo com a organização, deve ser mantida durante todo o festival, sendo de realçar que “os bilhetes diários não têm direito a reentrada”. Durante a realização do SBSR, são assegurados também autocarros, entre as 9 da manhã e as 19 horas, até à Praia do Meco.
Quanto ao espaço de concertos, os festivaleiros vão ser confrontados com um terreno “diferente daquele que o público já conhece das edições anteriores”, este ano com um novo tapete de vegetação “tratado para assegurar um piso verde natural, onde estarão instalados os vários palcos”.
Com efeito, no decorrer dos três dias deste evento musical, as portas do recinto abrem pelas 15 horas e os concertos, que acontecem em quatro palcos diferentes, têm início pelas 17 horas.



Para esta noite, a norte-americana Lana Del Rey, está de regresso após sete anos, agora com quatro álbuns editados, numa altura em que a cantora se prepara para lançar o seu novo trabalho “Norman Fucking Rockwell”, já no próximo mês de agosto.

Para além da artista, para hoje estão também agendadas as atuações de Cat Power, Jungle e The 1975. A completar o leque de atrações deste primeiro dia, encontram-se ainda os Metronomy, Marlon Williams, Sebastian, Roosevelt e os portugueses Conan Osiris, Sallim, Grandfather’s House, Madrepaz, Glockenwise, Dino D’Santiago e Branko.



De forma a evitar “enchentes” ou “congestionamentos”, a organização recomenda que o público chegue cedo à Herdade do Cabeço da Flauta e de preferência através de transportes públicos, apesar da criação de dois parques de estacionamento que prometem lotar rapidamente. Por essa razão, os festivaleiros devem recorrer aos autocarros da Transportes Sul do Tejo (TST), que vão fazer o percurso entre a Praça de Espanha (Lisboa) e o recinto (a partir de hoje, entre as 13 e as 19 horas) e a Gare do Oriente e o recinto (até às 22 horas).

O regresso a Lisboa, por sua vez, está assegurado entre as duas e as cinco da manhã para a Praça de Espanha. Disponíveis estão ainda disponíveis “todas as ligações habituais entre Lisboa e Setúbal”.
Também as plataformas eletrónicas para transporte de passageiros Bolt e Uber vão estar a postos em pontos de recolha junto ao recinto, para recolher passageiros e como forma de chegar o quanto antes à “estação de Coina, para quem utilizar os comboios da Fertagus”.



Sanitários secos de compostagem, para eliminar o uso de químicos e de água, assim como copos reutilizáveis, já usados em edições anteriores e uma máquina de cerveja a energia solar, são algumas das medidas tomadas em relação à proteção do ambiente. A primeira edição do SBSR aconteceu em 95, na Gare Marítima de Alcântara, em Lisboa, tendo decorrido ainda no Passeio Marítimo de Algés, em Oeiras, no Parque Tejo e no Parque das Nações. O evento regressa agora ao Meco, quatro anos depois da sua presença em Lisboa.

Partilhe este artigo no Facebook