“O Sonho” de Strindberg em cena até 31 de julho

A peça “O Sonho”, de August Strindberg, uma produção do Teatro Experimental de Cascais (TEC) encenada por Carlos Avilez, estreou no passado dia 5 no Teatro Municipal Mirita Casimiro, integrada no 36.º edição do Festival Almada e vai ficar em cena até 31 de julho.

Coproduzido pela Escola Profissional de Teatro de Cascais, este espetáculo conta com a participação especial de Ruy de Carvalho e com a interpretação dos atores Miguel Amorim, Luiz Rizo, Renato Pino, Sérgio Silva e Teresa Côrte-Real, numa altura altura em que é prestada homenagem a Carlos Avillez, fundador do TEC.
“O Sonho” é uma peça escrita em 1901 pelo dramaturgo sueco August Strindberg, tendo sido apresentada pela primeira vez a 17 de abril do ano de 1907, na cidade de Estocolmo e é considerada até aos dias de hoje “um dos dramas mais admirados e influentes” do autor, precursor do expressionismo dramático, do surrealismo e agora levada à cena por esta companhia teatral.



Agnes, filha do deus Indra, é a personagem principal desta peça, que desce à Terra para “compartilhar dos problemas dos humanos e encontra cerca de 40 personagens, algumas delas “com um valor claramente simbólico”, entre as quais quatro reitores que representam a Teologia, Filosofia, Medicina e o Direito.
Depois de experimentar todos os tipos de sofrimento humano, tais como a pobreza, crueldade ou a rotina da vida familiar, Agnes percebe que “os humanos são dignos de pena” e é perante a sua constatação que a filha dos deuses regressa ao céu, num momento que “corresponde ao acordar de uma sequência de eventos semelhantes a sonhos”.


Fonte: TEC

Partilhe este artigo no Facebook