‘Ocean Campus’ requalifica zonas ribeirinhas

Isaltino Morais, presidente da Câmara de Oeiras, esteve esta manhã na cerimónia de apresentação do Ocean Campus, um projeto da APL – Ministério do Mar para requalificação da zona ribeirinha entre Pedrouços, Lisboa e Cruz Quebrada.

O autarca anunciou que o município “está disponível para antecipar o cenário de concretização do programa”. Com três fases de implementação, o projeto apresentado por Ana Paula Vitorino, Ministra do Mar, pretende intervir no território de Oeiras apenas na segunda fase (2022 – 2026), na qual está previsto “um investimento total de 152 milhões de euros” num hotel, num espaço empresarial e para centros de investigação, na Marina do Jamor, na ‘Blue Business School’, assim como em terrapleno, arranjos exteriores ou acessibilidades.
Com o intuito de acelerar o processo, o presidente afirmou que o município “está disponível para antecipar o cenário de concretização que o programa de faseamento prevê” para a requalificação da zona, de modo a que a “primeira e segunda fases possam ser executadas em simultâneo”, com as obras a poderem começar em Oeiras já no próximo ano, “comprometendo-se para o efeito, a Câmara Municipal a alocar as verbas e os meios necessários que permitam garantir a componente física que suportará as atividades no cenário urbanístico que se estende até à zona da foz do rio Jamor”.



Na mesma altura, Isaltino Morais anunciou também a requalificação das praias de Algés e da Cruz Quebrada, estando a trabalhar para a atribuição da bandeira azul nas praias de Paço de Arcos e de Caxias.
De acordo com o presidente, o conceito Ocean Campus “constitui uma base programática a desenvolver, para harmonizar as vontades da autarquia e da APL – Ministério do Mar, consolidando uma versão comum do futuro, para um território que, do ponto de vista funcional, é indissociável do restante território municipal, integrando-se na estratégia de desenvolvimento subjacente à marca Oeiras Valley”.
O Ocean Campus ou Campus do Mar, consiste num projeto que abrange 64 hectares de área de intervenção e que visa criar um campus de Investigação, Desenvolvimento e Inovação (ID&I) internacional de atividades ligadas ao mar, bem como “agregar vários organismos, serviços e instituições públicas, pólos universitários, laboratórios de investigação, unidades âncora para desenvolvimento de novos modelos de relacionamento”, ligados a esta temática.

Inaugurada ciclovia do mar entre Lisboa e Oeiras
Por sua vez, Ana Paula Vitorino disse que este projeto pretende posicionar Portugal num “espaço de referência no contexto internacional nos domínios das ciências marítimas e marinhas e à economia azul”.
Na cerimónia desta manhã, foi ainda lançado o concurso público para a concessão de exploração da Marina de Pedrouços e inaugurada a ‘ciclovia do mar’, que liga Lisboa a Oeiras. Foto: CMO

Partilhe este artigo no Facebook