Rebordão e Branco no ‘EDP Fado Cafe’ do NOS Alive

O palco ‘EDP Fado Cafe’ do NOS Alive, que vai receber os nomes mais consagrados do Fado, bem como outros artistas com fortes relações com este género musical, acaba de confirmar as participações de Fábia Rebordão, uma das vozes de referência do fado novo, no último dia do festival e de Cristina Branco a 12 de julho.

Fábia Rebordão apaixonou-se pelo fado desde cedo, pela voz de Amália Rodrigues, de quem ainda é prima e começou a cantar profissionalmente nas casas típicas de alfama, como a Taverna do Embuçado, Clube de Fado, entre outras. Embora o fado seja “a grande matriz da sua paixão pela música”, as suas influências musicais são diversas e vão da soul à bossa nova, à morna e do blues ao jazz. ​Foi esta “versatilidade” que levou a artista a participar na segunda edição da “Operação Triunfo”, da qual é uma das finalistas e onde o seu nome se tornou mais conhecido pelo grande público.

Em 2011 lança o seu disco de estreia. produzido pelo cantor, compositor r produtor Jorge Fernando, que conta com a participação de Lura, cantora cabo-verdiana, e com a fadista Celeste Rodrigues. O trabalho levou-a a vários palcos, entre eles a emblemática sala nova iorquina “Carnegie Hall”, tendo sido convidada de Mariza para atuar em dois grandes espetáculos em Belgrado e Budapeste. ​Entre palcos nacionais e internacionais, o ano de 2016 foi o regresso de Fábia Rebordão aos discos. A produção do novo álbum de inéditos foi assinado mais uma vez por Jorge Fernando, mas com New Max e Hugo Novo. Atualmente, a cantora prepara-se para gravar um novo álbum de originais.



Por sua vez, a palavra é “um ponto de partida para toda a carreira artística de Cristina Branco”. Desde os primeiros passos a escutar os textos que Amália cantava, a formação em jornalismo, até às primeiras aventuras no universo discográfico. As ultimas viagens no mundo da música com os discos “Menina” e “Branco” colocaram os criativos de uma nova geração lusa no canto de Cristina Branco.
Os álbuns arrecadaram distinções como “Melhor Disco” para a Sociedade Portuguesa de Autores, nomeação para “Melhor Intérprete Individual” (Globos de Ouro) e para “Melhor Álbum Fado” (Prémios Play 2019).
Com efeito, o fado é “um ponto firme na partida de Cristina Branco para a descoberta de outras paragens musicais”. No palco do EDP Fado Cafe, a artista apresenta-se com o seu trio de sempre em roupagens novas de um repertório rico.

Recorde-se que o Palco EDP Fado Cafe, o sétimo palco do NOS Alive, nasceu na 10.ª edição, na Rua EDP, uma zona renovada do recinto com cenografia tradicional portuguesa.

Partilhe este artigo no Facebook