Homenagem aos Delfins encerra Festas do Mar

As Festas do Mar, em Cascais, chegaram ao fim este domingo com uma homenagem aos Delfins, numa noite marcada pelas canções emblemáticas da banda que “imortalizou” o nome da sua Baía e daquela vila, perante a presença de milhares de pessoas.

Carlos Carreiras, presidente da Câmara Municipal de Cascais, começou por agradecer aos milhares de pessoas que durante os dez dias de festa, marcaram presença “sempre com muita paixão, emoção e amor” nas festividades e que ajudaram a criar “este enquadramento na baía mais bonita do mundo”. O autarca afirmou que “Cascais presta uma justa homenagem aos que imortalizaram esta Baía e que nos têm feito sonhar e viajar com as suas músicas ao longo destes anos”, tendo entregue uma placa evocativa da noite a cada um dos músicos da banda. O presidente destacou também o trabalho dos cerca de dois mil jovens voluntários que, diariamente, participam e colaboram na realização de diversas iniciativas municipais.



O espetáculo, que reuniu em palco os cerca de 90 músicos da Orquestra Sinfónica de Cascais, conduzidos pelo maestro Nikolay Lalov, iniciou-se com um instrumental do tema “A Baía de Cascais”, seguindo-se as atuação dos músicos convidados, que entoaram os grandes êxitos da banda de Miguel Ângelo. Olavo Bilac recordou “A Nossa Vez” e “Ser Maior”. Por sua vez, coube a Ana Bacalhau cantar a “Marcha dos Desalinhados” e “A Primeira Vez”. Já Miguel Gameiro foi convidado a lembrar aos cascalenses os temas “Um Só Céu” e “Não Vou Ficar”. A noite contou ainda com as vozes de Joana Espadinha (“Como Uma Criança”), Héber Marques (“Num Sonho Teu”) e João Pedro Pais, que encerrou a primeira parte do espetáculo com a música “Ao Passar Um Navio”. Emocionado, o cantor lembrou ao público que “faz 23 anos que não canto esta canção”.

Antes do fogo de artifício, o público viria a presenciar o grande momento da noite com atuação da Orquestra Sinfónica com os Delfins. Durante uma hora, a banda emocionou o público com temas como “Bandeira”, “Saber Amar”, “Solta os Prisioneiros”, “Aquele Inverno”, bem como “A Queda de Um Anjo”, Um Lugar ao Sol”, “A Cor Azul” ou “Sou Como um Rio”. Para a reta final deste concerto de homenagem ficou “Nasce Selvagem”, que contou com a participação de Tim e “Baía de Cascais”, num encore de Maria Leon com todos os convidados presentes. No final, Miguel Ângelo classificou a homenagem do município como “uma noite mágica, especial e irrepetível”, tendo elogiado os arranjos musicais do maestro da Sinfónica.



Foram dez dias de muita festa e música em Cascais. Pelo palco montado junto à baía, passaram Virgul, Jorge Palma & Sérgio Godinho, Anselmo Ralf, bem como Fernando Daniel e os Àtoa, Paulo Gonzo, Enoque, a fadista Ana Moura e o dueto de música brasileira Anavitória, que levaram a Cascais temas do seu primeiro álbum e do disco “O Tempo é Agora”. Na passada sexta feira foi a vez dos Amor Electro voltarem a encher aquele espaço com uma multidão de fãs. Para além da homenagem deste domingo aos Delfins, no sábado, foram os Mur Mur e os The Gift que fizeram-se ouvir, entre outros nomes da música nacional. Texto: L.G. | Foto: C.M.Cascais

Partilhe este artigo no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *