Brasileiro Nelson Freire abre 54º Festival de Sintra

O concerto de abertura do 54º Festival de Sintra acontece no próximo dia 6, pelas 21h30, no Auditório Jorge Sampaio, no Centro Cultural Olga Cadaval, com Nelson Freire & Orquestra Gulbenkian.

O espetáculo com Nelson Freire, uma das maiores lendas vivas do piano no mundo, que conta com as participações da Orquestra Gulbenkian e do maestro Raphael Oleo irá servir de abertura ao festival, que este ano “transporta” a música “Da Corte para a Rua”.
Para o presidente da Câmara de Sintra, Basílio Horta, a “música é de todos e para todos”, daí defender que esta iniciativa “alcançou um patamar de qualidade e de abrangência sem precedentes”, não só pela diversidade dos espaços onde se realizam os concertos, mas também “pela proximidade a vários públicos e locais do nosso concelho, sobretudo pela abertura e democratização da música em toda a sua dimensão e universalidade”.
O autarca realça ainda que a partir deste ano, o Festival de Música de Sintra “abre um novo ciclo na sua longa existência, num trajeto filosófico e estético que agrade a todos, que respire e abrace a continuidade e a inovação, que satisfaça os espetadores habituais, mas que conquiste, em simultâneo, novos públicos”.



Por sua ver, Gabriela Canavilhas, diretora artística do evento musical, defende que a edição de 2019 do festival, local de Paço Real e Palácios da Corte portuguesa durante longos períodos, “será cenário e testemunha dessas contaminações entre o Velho Mundo e as sucessivas novas praticas sociais que acompanharam as mudanças para a modernidade, através do rasto que foram deixando nas artes e na música”.



Nelson Freire: criança prodígio
A trajetória do artista assenta numa “extraordinária liberdade artística e classe interpretativas que combina com técnica e inteligência raras”. Vencedor do Concurso Vianna da Motta, em 1964, o então jovem pianista brasileiro de 19 anos, lança-se numa carreira internacional “impressionante”, desde cedo qualificada como a de “um dos maiores pianistas desta ou de qualquer outra geração” pela revista “Time”.

Recentemente foi-lhe atribuído o Lifetime Achievement Award pela “International Classical Music Awards”, que se junta a uma lista de importantes condecorações oficiais em vários países. É com Grieg e Dvorak que será celebrada a “cumplicidade entre as músicas e os estilos neste concerto, compositores que assentam a sua música nas tradições dos seus países, a Noruega e a Checoslováquia”.
O festival, que conta também com o apoio da Parques de Sintra Monte da Lua, inclui mais 15 espétaculos que vão decorrer no Centro Cultural Olga Cadaval, Sociedade Filarmónica União Assaforense, Igreja de Belas e de Montelavar, Palácio Nacional de Queluz e Palácio Nacional de Sintra. O encerramento do festival acontece a 1 de outubro no Centro Cultural Olga Cadaval, com uma atuação da Orquestra Chinesa de Macau, dirigida pelo maestro Liu Sha. Os bilhetes encontram-se à venda na Ticketline.

Partilhe este artigo no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *