Oeiras lança a partir de hoje transporte Valley Shuttle

O município de Oeiras lança a partir desta segunda feira, dia 2, o Valley Shuttle, um transporte de passageiros de média capacidade, que vai assegurar a ligação entre a estação de caminho-de-ferro de Paço de Arcos e os parques empresariais da Quinta da Fonte, Lagoas Park e Taguspark.

O novo meio de transporte funciona nos dias úteis, entre as sete da manhã e as 19 horas, com um Shuttle de 20 em 20 minuto, e insere-se na estratégia do município para “melhorar a mobilidade no concelho”, uma das prioridades do atual executivo, que “tem vindo a reforçar o investimento nesta área, colmatando as lacunas da oferta dos operadores de transporte coletivo licenciados pela Administração Central”.
“A existência de alternativas de mobilidade urbana é uma das principais preocupações dos cidadãos no momento de escolher o local de residência e/ou de emprego e é igualmente um fator determinante para a implementação de empresas no território”, explica Isaltino Morais, presidente da Câmara de Oeiras, acrescentando que “a aposta na mobilidade e, dentro desta, nos transportes públicos é, por isso, fundamental para o aumento da competitividade das cidades e uma peça-chave no combate às alterações climáticas”.



A ligação efetuada pelo “Valley Shuttle” vai ainda oferecer uma solução mais sustentável e económica às dezenas de milhares de pessoas que, diariamente, se deslocam para estes parques empresariais.
Neste sentido, está em fase de estudo a continuação da implementação de um transporte, em linha dedicada, que irá ligar as estações de caminho-de-ferro de Paço de Arcos e Cacém (no concelho de Sintra), passando pelos três parques empresariais, numa ligação considerada estratégica para a região pela Área Metropolitana de Lisboa.
Recorde-se que, em junho, a autarquia de Oeiras arrancou com a obra do viaduto da Quinta da Fonte (que vai ligar o Parque das Cidades à Quinta da Fonte), e cujo investimento ronda os dois milhões de euros, que permitirá “uma distribuição mais equilibrada dos fluxos rodoviários, diminuindo os constrangimentos de trânsito que se sentem sobretudo em horas de ponta”.



Dois milhões de euros por ano é também o valor do investimento daquele município nos novos passes sociais, lançados em março, e que permitiram às famílias poupanças elevadas. Por outro lado, em 2018, a autarquia colocou em circulação, na União de Freguesias de Algés, Linda-a-Velha e Cruz Quebrada – Dafundo, o COMBUS, um transporte coletivo de passageiros, estando previsto que no último trimestre do corrente ano, passe a circular também na União de Freguesias de Oeiras, Paço de Arcos e Caxias. Em 2020, de acordo com a câmara municipal, o serviço “será alargado ao restante território”.
Em desenvolvimento estão igualmente projetos de vias estruturantes, entre as quais se destacam a Via Longitudinal Sul (1ª Troço – Lage / Nó de Oeiras da A5, 2ª Troço – Quinta da Fonte / Cidade do Futebol); Via Longitudinal Norte (Troço Queijas / Carnaxide); Via de Distribuição Primária (Troço Porto Salvo / Talaíde); Ligação Santo Amaro de Oeiras – Paço de Arcos (a sul da linha de caminho de ferro); Ligação Porto Salvo – Vila Fria; Variante à Avenida do Forte, em Carnaxide; Variante à Avenida 25 de Abril, em Linda-a-Velha; e Variante ao Centro de Barcarena.
A “promoção da mobilidade suave é também uma aposta” de Oeiras, estando em desenvolvimento os projetos de um conjunto de ciclovias ou vias cicláveis da Estrada da Medrosa (entre a Praia da Torre e a Fundição de Oeiras), a ciclovia de Nova Oeiras e a Ciclovia Empresarial, entre a Estação de Caminho de Ferro de Paço de Arcos e o Parques Empresarias da Quinta da Fonte e o Lagoas Park. Foto: C.M.Oeiras

Partilhe este artigo no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *