‘Lisboa Connection Fest’ com balanço positivo

A primeira edição do Lisboa Connection Fest, um festival de música Blues e Folk que levou cerca de 800 pessoas ao Palácio Baldaya, em Benfica, no último fim de semana, excedeu as expectativas da organização que conta introduzir algumas novidades no evento em 2020.

Pedro Galhoz, da agência Luckyman, disse à Rádio Costa do Sol “que atingimos os nossos objetivos e conseguimos marcar a nossa posição na cidade, que era trazer Blues para Benfica, sendo que Lisboa era a única cidade europeia que não tinha um festival” deste género musical.
O responsável realçou que foram “identificadas algumas melhorias a fazer” na edição de 2020, mostrando-se satisfeito com esta primeira experiência, que a promotora já tem projetada “para os próximos três anos”, afirmou.


Martin Haley


Vítor Bacalhau

O primeiro passo pretende ser “um pouco mais ambicioso e vamos precisar de ter uma base maior e que envolva mais parceiros”, revelou. adiantando que “todas as coisas que um evento precisa para crescer”, aplica-se a este festival. “Temos que ter a humildade para sabermos que começámos e que temos um caminho a percorrer e já sabemos como o fazer, assim a Junta de Freguesia de Benfica nos queira neste local para continuar a realizar o Lisboa Connection Fest”, disse.



No futuro, segundo Pedro Galhoz, o objetivo passa por “aumentar o número de pessoas no festival e para que tal aconteça, temos que lhes oferecer mais comodidade e é nesse sentido que temos que investir mais a nível estrutural”, sublinhou. O espaço onde decorreu o evento é “incrível” e levou algum tempo a ser escolhido pela organização, para a qual a “lotação do Baldaya demonstrou ser a ideal para um festival desta dimenção”, para além da “beleza” daquele equipamento cultural.

Durante os dois dias de programação musical, todos os que passaram por aquele espaço puderam ainda assistir a uma exposição de fotografia e a um Sunset DJ ou deliciar-se com a Street Food presente nos jardins do palacete. Para a organização, o balanço é “muito positivo” e entre os desafios para o futuro está a realização de concertos gratuitos à entrada daquele espaço, para “identificar ainda mais Benfica como o bairro da música”, disse. O responsável confirmou ainda à Rádio Costa do Sol, que “cerca de 50 por cento das pessoas que participaram no evento, aderiram aos descontos para quem vivia na freguesia ou do bilhete Early Bird”, concluiu Pedro Galhoz.



O festival começou na tarde do passado dia 27, com o inglês Martin Haley a subir ao palco, seguido pelo português Vítor Bacalhau, num concerto bastante aplaudido pelo público. A noite terminaria ao som da banda espanhola de Blues e de Swing “Chino & The Big Bet”.


Budda Power Blues

O músico Cristóvam abriu a festa de sábado, dia 28, com os italianos Bayou Moonshiners a levarem o público ao rubro, numa atuação divertida, onde não faltou o Blues e o Swing, para além da Mardi Gras Music. O festival ficou ainda marcado pelos portugueses Budda Power Blues, que encerraram o Lisboa Connection Fest com chave d’ouro. Texto: Luís Geirinhas | Fotos: Luckyman

Partilhe este artigo no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *