Mostra sobre Ourivesaria Portuguesa em Sintra

A exposição “INTRADITION” é inaugurada esta quinta feira no espaço Vila Alda, situado na Casa do Elétrico de Sintra, onde vai manter-se até 31 de outubro, com entrada gratuita e associada ao 50º aniversário da ourivesaria Arneiro 1969, sob o mote “Meio século com futuro”.

A mostra conta com a curadoria de Ana Cristina Sousa, da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, uma académica com trabalho reconhecido na área da Ourivesaria Portuguesa e com o apoio daquela câmara municipal e organização da Arneiro 1969.
Com esta exposição, pretende-se que os visitantes “não vejam só as jóias, mas que as olhem de uma outra forma, por fora e ‘por dentro’, proporcionando-lhes o conhecimento de alguns dos processos tradicionais de fabrico que marcaram a produção de prata e do ouro nos últimos séculos”. O objetivo passa ainda por incutir no olhar e na mente do espetador “a noção de ritmo e de tempo, o tempo lento de execução de uma peça a partir de técnicas milenares ou centenárias, que conferem à jóia não só um caráter estético, mas, também, toda a carga cultural e simbólica de um saber fazer”.



“Pela terceira edição do INTRADITION escolhemos transformar este momento numa iniciativa cultural aberta a todos os que nos queiram conhecer e visitar”, sublinha Mafalda Arneiro, que destaca ainda que “para assinalar os 50 anos da Arneiro 1969, que se celebram este ano, criámos uma exposição temporária que consiste na reflexão histórica sobre a Ourivesaria Portuguesa”. A responsável explica que “tivemos como base o ‘Tempo’ como parte integrante da jóia, o tempo que leva a ser feito, a perpetuidade e as memórias criadas de geração em geração”, realça. Os visitantes são convidados a conhecer como a história da ourivesaria portuguesa se cruza com a história da Arneiro 1969, fundada por Reinaldo Arneiro.



De forma complementar à exposição, está ainda previsto um ciclo de tertúlias, a realizar todos os sábados deste mês (dias 4, 12, 19 e 26), entre as 11 horas e as 12h30, desenvolvidas em parceria com a Associação de Ourivesaria e Relojoaria de Portugal (AORP). Estas conversas, “descontraídas e informais” vão contar com a participação de diferentes intervenientes, desde nomes da nova geração de joalheiros portugueses aos mais consagrados, passando por clientes e até por profissionais da área da ourivesaria. A inauguração da mostra conta com a presença do presidente da Câmara de Sintra, Basílio Horta.

Partilhe este artigo no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *