Obras da nova sede da PHC arrancam no Taguspark

O Taguspark e a PHC Software assinalaram esta manhã o início das obras de um novo edifício para a futura sede da multinacional portuguesa, num investimento na ordem dos 12 milhões de euros, que inclui também a nova fase de desenvolvimento daquele parque de ciência e tecnologia de Oeiras.

A empresa, que ambiciona “ser a melhor experiência para trabalhar em Portugal”, vai mudar-se para aquele espaço onde irá ocupar uma área útil de quatro mil metros quadrados, com capacidade para 250 pessoas. Situada no Lote 33 do Taguspark e perto da Praça Central, a PHC (especializada no desenvolvimento de soluções de gestão), pretende “redefinir o modelo de local de trabalho”, através de um novo conceito de escritórios que venham a ser uma referência europeia ao nível das melhores práticas do bem-estar e da colaboração profissional, num ambiente “descontraído mas com alto nível de profissionalismo”.

Ricardo Parreira, CEO da PHC Software, referiu que o “arranque destas obras marcam o início de uma nova era de recursos humanos para PHC, mas também para Portugal”. Por sua vez, Eduardo Baptista Correia, CEO do Taguspark, congratulou-se com o “início de um projeto inovador que vai permitir à empresa PHC cumprir aqueles que são os seus objetivos de felicidade no local de trabalho e de best experience at work”. Na altura, o responsável manifestou a sua “satisfação pelo facto de esta tecnológica ter reconhecido a qualidade de vida do Taguspark e ter decidido aqui instalar os seus escritórios, integrando um ecossistema empreendedor único em Portugal, o maior parque de ciência e tecnologia, numa infraestrutura do século XXI com condições de trabalho excepcionais a todos os níveis”.



O “Edifício Simulador I – Edifício PHC”, como ficarão conhecidas as novas instalações, seguirá as melhores práticas de inovação e de gestão de pessoas e estará ao nível dos melhores da Europa. A sua construção permite ainda arrancar com uma nova fase de desenvolvimento do Taguspark, no que diz respeito a novas construções, contribuindo para a evolução e modernização da arquitetura do Parque de Ciência e Tecnologia situado em Oeiras.

De referir que em 2018, o Taguspark iniciou um projeto de regeneração do edificado existente, com enfoque no reposicionamento do parque no mercado de arrendamento de escritórios para empresas de base científica e tecnológica. A regeneração interior e exterior do Edifício Inovação I permitiu acomodar, já em em 2019, a LG Electronics. Seguiram-se os Edifícios Tecnologia I, II e III, cuja renovação exterior permitiu criar “um ambiente esteticamente atrativo e renovado, com a correspondente melhoria ao nível do conforto das empresas que atualmente os ocupam”. A regeneração do interior do Edifício Tecnologia II, com conclusão prevista ainda para este ano, permitirá criar “um espaço moderno e com potencial de atratividade para empresas criativas, que procurem ambientes estilo industrial, tipo loft”.



O objetivo passa por “concluir em 2020 esta estratégia de renovação da zona central do Taguspark, com o alargamento das intervenções exteriores aos Inovação II, III e IV”, colocando o parque ao melhor nível europeu em termos de local de trabalho. Fotos: Taguspark

Partilhe este artigo no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *