NOS Alive’20 anuncia data extra com Kendrick Lamar

Em 2020, a edição do NOS Alive vai contar não com três dias de festival, mas sim com quatro, com o dia 8 de julho a passar a ser uma data extra da 14.ª edição de um dos maiores eventos musicais em Portugal, que promete atrair no verão do próximo ano e ao longo de quatro dias, mais de 200 mil pessoas ao Passeio Marítimo de Algés, em Oeiras.

O anúncio foi feito durante a manhã desta quinta-feira, por Álvaro Covões, responsável da promotora Everything is New, que destacou o facto do festival ter reunido naquele espaço, ao longo das 13 últimas edições, mais de um milhão e 800 mil pessoas, número que na sua perspectiva demonstra “a grande dimensão do público que, anualmente, já faz questão de acompanhar o NOS Alive num país com 10 milhões de habitantes“.

O encontro, onde foi revelada a primeira novidade confirmada para dia 8 – Kendrick Lamar -, contou com a presença dos membros da banda portuguesa Da Weasel que, conforma foi anunciado no último dia do festival deste ano, volta a reunir-se em 2020 para uma atuação exclusiva no Palco NOS, a 11 de julho, que irá marcar a data de encerramento daquele evento.



O rapper, produtor, compositor e ator norte-americano Kendrick Lamar é hoje considerado “o artista rap mais aclamado da sua geração” e é um daqueles raros MCs que alcançaram sucesso crítico e comercial, ao mesmo tempo em que conquistaram “o respeito e o apoio daqueles que o inspiraram“. Após vários anos de desenvolvimento, em 2010, Lamar atinge o reconhecimento mundial com o lançamento da mixtape “Overly Dedicated”, sob a sua assinatura. No ano seguinte é editado de forma independente o primeiro álbum de estúdio, “Section.80”, lançado via iTunes, que contou com o single “HiiiPoWeR”.

Já em 2012 é lançado “Good Kid, M.A.A.D City”, editado por reconhecidos produtores como Dr. Dre, Pharrell Williams, Hit-Boy, Scoop DeVille, Jack Splash e T-Minus. Em maio de 2015, Kendrick Lamar lança o terceiro disco, “To Pimp a Butterfly”. O álbum alcançou rapidamente o #1 na lista das melhores publicações do ano como a Billboard, Pitchfork, Rolling Stone ou The Guardian. No ano seguinte sai “Untitled Unmastered”, uma compilação de demos gravadas durante as sessões de “To Pimp a Butterfly”. Já o ano de 2017 é marcado com o lançamento do quarto álbum de estúdio do rapper, intitulado “Damn”.
O artista já recebeu 81 prémios ao longo da sua carreira, das 186 nomeações conquistadas. Entre estes fazem-se notar 12 Grammy Awards e um ASCAPVanguard Award, tendo em 2018 se tornado o primeiro artista do universo pop a vencer o prestigiado prémio Pulitzer para a música com o álbum “DAMN”. A sua estreia no NOS Alive acontece na data extra que marcará o arranque do festival.



Durante a conferência de imprensa, Ana Rita Baptista, diretora de Marca e Comunicação da NOS, afirmou que para a empresa “é com grande entusiasmo que encaramos este momento, que é já um ritual muito positivo, na preparação de um momento tão intenso e tão icónico para a celebração da música e da música ao vivo” como o NOS Alive. Para a responsável, o evento tem se revelado como “o festival onde os portugueses querem ir“, com a NOS a olhar para este momento como uma “oportunidade criada, num mundo que é cada mais virtual, para a vivência partilhada ao vivo e a cores em 3D“. A presença da NOS no festival, defendeu, “é cada vez mais exigente, trazendo as redes que acompanham essa experiência” e “nós somos um pouco invisível mas estamos lá“.
Por sua vez, o presidente da Câmara Municipal de Oeiras, Isaltino Morais, destacou o papel do festival em reunir milhares de pessoas num espaço que “é importante para o país“. O autarca sublinhou a vocação daquele território para a realização de grandes eventos, como é o caso do NOS Alive, e anunciou que é intenção da câmara “garantir a expansão daquela área em 12 hectares“. O edil referiu-se também às passagens que serão criadas entre a linha férrea, para facilitar a entrada e saída das pessoas do festival. À Rádio Costa do Sol, Álvaro Covões realçou que, à semelhança de todos os anos, “muitos artistas portuguesas vão se juntar ao NOS Alive” que, como habitualmente, serão sendo conhecidos aos poucos para “manter viva a chama” em relação à edição de 2020.



Angel Olsen atua a 10 de julho no Palco Sagres
Também a artista norte-americana Angel Olsen apresenta o novo álbum “All Mirrors”, no dia 10 de julho, no Palco Sagres. Em 2011 a cantora e compositora lançou um EP intitulado “Strange Cacti” e, no ano seguinte, o álbum de estreia “Half Way Home”.

Conhecida pela sua melancolia delicada, a sua música foi associada ao género lo-fi e folk. Em 2013, o baterista Josh Jaeger e o baixista Stewart Bronaugh juntaram-se a Olsen para o lançamento do segundo disco “Burn Your Fire For No Witness”. Passados três anos regressa com o novo trabalho de originais “My Woman” e ainda este ano, no passado dia 4 de outubro, foi editado o quarto longa-duração “All Mirrors”.
Alt-j, Anderson .Paak & The Free Nationals, Angel Olsen, Billie Eilish, Cage The Elephant, Caribou, Da Weasel, Faith No More, Finneas, Haim, Hobo Johnson and The Lovemakers, Kendrick Lamar, Khalid, Parcels, Parov Stelar, Taylor Swift, Two Door Cinema Club e Wolf Parade são as atrações, até ao momento, do cartaz do NOS Alive’20. Fotos: Luís Geirinhas / Arlindo Camacho

Partilhe este artigo no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *